Nome completo

Abebe Bikila

Nacionalidade

ETI

Nascimento

7/8/1932

Local

Jato

Morte

25/10/1973

Local

Addis Abeba

Altura

1,77m

Ouro

2

Prata

0

Bronze

0

Total

2

Participações

Roma 1960

Tóquio 1964

Cidade do México 1968

Histórico olímpico

Maratona - 1960: ouro; 1964: ouro; 1968: não completou

Outras conquistas

2 recordes mundiais

Abebe Bikila foi o primeiro atleta a conquistar o bicampeonato olímpico da maratona e o primeiro negro africano a subir no topo do pódio em uma Olimpíada. O corredor nasceu na pequena vila de Jato, na Etiópia. Filho de pastores de ovelhas, teve uma infância pobre. Aos 17 anos, mudou-se para a capital, Addis Abeba, e passou a trabalhar na guarda do imperador Haile Selassie (1892-1975).

A corrida, que fazia parte de seu treinamento no Exército, virou profissão quando Bikila tinha 24 anos. Em uma competição das Forças Armadas, o etíope chamou a atenção do sueco Onni Niskanen, então técnico da equipe de atletismo do país. Bikila era um atleta desconhecido quando chegou aos Jogos Olímpicos de 1960, em Roma, mas roubou a cena antes mesmo da largada. Com bolhas nos pés, ele decidiu correr descalço. Foi o início de uma noite histórica: venceu a maratona e quebrou o recorde mundial — 2h15min16s2. Virou herói na Etiópia e iniciou uma tradição de corredores de longa distância do país.

Abebe Bikila observado por policiais durante os Jogos de Tóquio 1964

Arquivo/COI

Bikila ficou conhecido por imprimir um ritmo constante na corrida e ter passadas leves, a ponto de rivais dizerem que ele flutuava. Também era quieto e reservado. De 1960 a 1966, ganhou 12 de 13 maratonas que disputou. Em 1964, chegou aos Jogos de Tóquio longe da forma física ideial, apenas seis semanas depois de uma cirurgia no apêndice. Mesmo assim, superou a alta umidade e o calor da capital japonesa para fazer história de novo: ganhou o ouro e estabeleceu mais uma vez a melhor marca da prova, 2h12min11s2. Dessa vez, usou tênis.

O etíope ainda tentou o tricampeonato na Cidade do México, em 1968, mas abandonou a prova com dores nas pernas. Não teria uma nova chance: No ano seguinte, sofreu grave um acidente de carro, fraturou o pescoço e teve lesão na medula espinhal. O imperador Selassie o mandou para tratamento na Inglaterra, mas Bikila nunca mais voltou a andar. Paraplégico, passou a competir no tiro com arco e em corridas de trenó. Bikila morreu em 1973, aos 41 anos, vítima de uma hemorragia cerebral. Deixou mulher e quatro filhos.

search-sample