Nome completo

Charles Benedict Ainslie

Nacionalidade

GBR

Nascimento

5/2/1977

Local

Macclesfield

Altura

1,83m

Ouro

4

Prata

1

Bronze

0

Total

5

Participações

Atlanta 1996

Sydney 2000

Atenas 2004

Pequim 2008

Londres 2012

Histórico olímpico

1996: prata (Laser); 2000: ouro (Laser); 2004: ouro (Finn); 2008: ouro (Finn); 2012: ouro (Finn)

Outras conquistas

8 títulos mundiais e quatro medalhas de bronze

Quando terminou em nono lugar a regata da medalha em Londres 2012 e garantiu o ouro da classe Finn, o britânico Ben Ainslie alcançava também um outro feito, ainda maior: seu quarto título olímpico consecutivo o tornava o maior velejador da história dos Jogos: com quatro ouros e uma prata, superava naquele momento o dinamarquês Paul Elvstrom, que colocou no peito quatro medalhas douradas de Londres 1948 a Roma 1960.

Criado em um ambiente que tinha a vela por todos os lados, tornou-se, como era de se esperar, um atleta da modalidade. Ainslie nasceu em Macclesfield, pequena cidade a cerca de 310 km a noroeste de Londres. Seu pai, Roderick, fez parte da mais tradicional regata de volta ao mundo em 1973. A mãe, Sue, também é velejadora. Seus primeiros momentos no esporte aconteceram quando ainda tinha nove anos, na classe Optimist. No ano seguinte começou a competir e em 1993 teve seu primeiro grande momento internacional: conquistou ainda adolescente o título mundial da classe Laser radial.

Foi uma experiência fantástica navegar contra ele e quase superá-lo. Não há dúvida de que Ben é o maior velejador do mundo

Jonas Hogh-Christensen (DIN) , Prata na classe Finn em Londres 2012 e derrotado por Ainslie

Em Atlanta 1996, quando tinha 19 anos, disputou os Jogos Olímpicos pela primeira vez, na única edição em que não conseguiu o ouro – foi derrotado pelo brasileiro Robert Scheidt e ficou com a prata na Laser. A partir de então, conheceu uma sequência que poucos atletas experimentaram na história: tornou-se imbatível, com quatro ouros seguidos. Em Sydney, ainda na classe Laser, devolveu a derrota sofrida para Scheidt, que desta vez ficou com a prata. Decidiu então mudar de classe e, para competir na Finn, ganhou 18 kg, a maior parte deles em massa muscular. E assim subiu no alto do pódio em Atenas 2004, Pequim 2008 e Londres 2012.

Por seus serviços prestados ao Reino Unido, recebeu em 2008 a Ordem do Império Britânico, mais alta condecoração do governo, tornou-se cavaleiro e é tratado como “sir”. Também é bem-sucedido nas regatas de alto mar: é campeão da America’s Cup, a mais importante competição do mundo. “Quando estou na água, me transformo em algum tipo de monstro”, disse em entrevista ao jornal inglês “The Guardian” em 2013.

search-sample