Nome completo

Teresa Edwards

Nacionalidade

EUA

Nascimento

19/7/1964

Local

Cairo

Altura

1,75m

Ouro

4

Prata

0

Bronze

1

Total

5

Participações

Los Angeles 1984

Seul 1988

Barcelona 1992

Atlanta 1996

Sydney 2000

Histórico olímpico

1984: ouro; 1988: ouro; 1992: bronze; 1996: ouro; e 2000: ouro

Outras conquistas

Campeã mundial (1986, 1990) e campeã pan-americana (1987)

Teresa Edwards é uma das melhores jogadoras de basquete de todos os tempos e também uma das maiores vencedoras da modalidade. Sua carreira olímpica, que se estendeu dos 20 aos 36 anos, lhe permitiu disputar cinco vezes o evento e tornar-se a maior medalhista da modalidade, considerando homens e mulheres. A armadora que vestia a camisa 4 americana subiu no pódio em todas as participações, quatro delas para receber a medalha de ouro. Em Barcelona 1992, a seleção dos EUA foi derrotada nas semifinais e bateu Cuba na disputa pelo bronze.

Líder de mais de uma geração de jogadoras e capitã da equipe nacional, conquistou 14 dos 18 torneios internacionais que disputou com a seleção americana, incluindo uma série de 46 vitórias consecutivas que durou de 1983 a 1991. Em 1997, apenas um ano depois de conquistar o quarto ouro olímpico, teve uma experiência acumulando as funções de jogadora e técnica do Atlanta Glory. A carreira como treinadora, porém, nunca decolou.

Nascida na cidade de Cairo, no Estado da Geórgia, Teresa é a mais velha (e única mulher) de quatro filhos criados apenas pela mãe. Embora o pai contribuísse financeiramente, era uma família pobre. A mãe, que na juventude sonhava ser enfermeira, teve de trabalhar na colheita de legumes e como operária para ajudar a sustentar a casa. “Minha atitude, minha perseverança e a forma como vivo minha vida estão relacionadas ao basquete. Provavelmente todo assunto de que eu possa falar com qualquer pessoa tem alguma relação com o esporte”, diz a ex-jogadora, eleita pela revista americana “Sports Illustrated” como a 22ª entre as 100 atletas mais importantes do século 20.

Contemporânea da brasileira Hortência, diz que a ex-rival é a melhor jogadora que enfrentou com a camisa dos EUA e a derrota para o Brasil nas semifinais do Campeonato Mundial de 1994 foi uma das mais duras de sua carreira. A vingança de Teresa aconteceria dois anos depois, quando as americanas derrotaram as brasileiras na final olímpica em Atlanta 1996.

search-sample