A canoa é o meio de transporte aquático mais antigo que se conhece. No ano 3.000 a. C. já era usada para caça e pesca em regiões frias como Alasca, Sibéria e Groenlândia, mas passou a ser utilizada como esporte somente em meados do século 19. Em 1840, o escocês John McGregor construiu uma canoa inovadora, batizada de Rob Roy e que hoje é considerada a precursora do caiaque atual.

A primeira organização a realizar disputas foi o Royal Canoe Club, nos arredores de Londres, fundado em 1866. Foi seguido pelo New York Canoe Club, que surgiu em 1871. Por volta de 1890, o esporte já era amplamente difundido na Europa.

canoagem velocidade Berlim 1936

Arquivo/COI

Dupla alemã compete em uma das provas em Berlim 1936, estreia da modalidade nas Olimpíadas

O outro passo importante para a popularização da canoagem velocidade aconteceu em 1924, quando em Copenhague foi fundada sua federação internacional, a IRK (Representação Internacional de Esportes de Canoa, na sigla em dinamarquês) e a inclusão como esporte de demonstração no programa dos Jogos Olímpicos daquele mesmo ano, em Paris. Em 1946, houve uma mudança no nome da entidade para ICF (Federação Internacional de Canoagem).

No Brasil, o esporte chegou em 1943, na cidade de Estrela (RS), trazido por José Wingen, que construiu o primeiro caiaque no país inspirado em um modelo que ele usava na infância, na Alemanha. Mas foi no final de 1970, quando Leandro Ávila voltou da Europa com um caiaque de fibra de vidro e que ajudou a construir mais de 200 barcos, que o esporte tomou um outro caminho.

Canoa C2

Divulgação

A canoa é disputada nas provas de C1 1000 m, C2 200 m e C2 1000 m, somente para homens

Em 1980, foi fundada a Associação de Canoagem Carioca, a primeira entidade oficial do esporte no Brasil. O esporte começou outra fase de desenvolvimento em 1984, com a chegada dos primeiros barcos oficiais de canoagem velocidade. No mesmo ano, a lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro, recebeu a primeira competição oficial da modalidade. Em 1985, surgiu a Associação Brasileira de Canoagem, e após quatro anos se tornou a Confederação Brasileira de Canoagem.

História Olímpica

A primeira experiência da canoagem velocidade como modalidade olímpica ocorreu nos Jogos de Paris 1924, quando participou do evento apenas como esporte demonstração. A entrada oficial no programa esportivo, porém, aconteceu somente três edições depois, nos Jogos de Berlim 1936, com nove provas apenas para homens.

As mulheres começaram a participar das provas de canoagem após a paralisação na sequência dos Jogos Olímpicos causada pela Segunda Guerra Mundial. Nas Olimpíadas de Londres 1948, houve a entrada das provas femininas, somente com a realização de um evento (K1 500 m). Na edição de 1960, em Roma, uma nova prova feminina foi acrescentada ao programa, o K2 500 m. Nova alteração só veio a acontecer nos Jogos de Los Angeles 1984, com a entrada da prova do K4 500 m.

Atualmente, a canoagem velocidade olímpica tem um total de oito eventos no masculino (K1 1000 m, C1 1000 m, K1 200 m, C1 200 m, K2 200 m, K2 1000 m, C2 1000 m e K4 1000 m) e quatro no feminino (K1 500 m, K1 200 m, K2 500 m e K4 500 m).

Isaquias Queiroz

ICF

Isaquias Queiroz é o principal atleta da canoagem velocidade do Brasil

Fonte: COI (Comitê Olímpico Internacional), COB (Comitê Olímpico do Brasil), Rio 2016, ICF (Federação Internacional de Canoagem), CBCa (Confederação Brasileira de Canoagem) e Portal Brasil 2016

Bikpek

search-sample