A origem do pentatlo moderno está fortemente ligado ao ambiente militar. Desde o período da Grécia Antiga, os soldados de Esparta utilizavam a modalidade para selecionar os soldados mais completos e ao mesmo tempo versáteis. O esporte foi inserido nos Jogos Olímpicos da Antiguidade, na 18ª edição, em 708 a.C, e era considerado como um dos principais eventos, pois o vencedor do pentatlo era considerado como o grande campeão dos Jogos.

Na época, as modalidades e formas de disputa eram diferentes do que se conhece atualmente. O pentatlo consistia de provas de salto em distância e altura, lançamento de disco e dardo, corrida e luta. Cada etapa era eliminatória, até que sobrassem apenas dois atletas para lutar entre si, definindo assim o vencedor.

Esgrima no pentatlo moderno de Pequim 2008

Arquivo/COI

A esgrima é uma das modalidades que fazem parte do pentatlo moderno

Graças a um oficial do Exército da Suécia que no final do século 19 o pentatlo passou a ser disputado no formato como é disputado nos dias atuais.  Ele teve a ideia de adaptar o esporte para uma simulação militar. A intenção era criar a situação de um soldado que tinha que entregar mensagens atrás das linhas inimigas. A hipotética missão começava a cavalo, passava pelo tiro, pela esgrima e pela natação, terminando na corrida.

A versão moderna do pentatlo é realizada com as disputas de provas de esgrima, natação, hipismo, e o evento combinado tiro e corrida.

O pentatlo moderno foi administrado diretamente pelo COI (Comitê Olímpico Internacional) até 1948, quando foi criada a UIPM (União Internacional do Pentatlo Moderno), fundada pelo sueco Gustaf Dyrssen, campeão olímpico da modalidade em 1920.

No Brasil, o pentatlo moderno é disputado desde 1922, mas demorou quase um século para ter sua própria confederação. No início, ele era filiado à Confederação Brasileira de Desportos Terrestres e durante muitos anos manteve-se restrito como uma atividade ligada às Forças Armadas.

Corrida no pentatlo moderno de Los Angeles 1932

Arquivo/COI

Sob olhar atento do árbitro, atleta da Suécia completa a prova da corrida, que integra o evento combinado com o tiro, durante as Olimpíadas de Los Angeles 1932. Nesta edição, havia apenas a disputa da prova individual masculina no pentatlo moderno

Foi apenas em 2001 que o esporte ganhou sua própria entidade com a fundação da CBPM (Confederação Brasileira de Pentatlo Moderno). Com sede no Rio de Janeiro, a CBPM possui sete federações, representando os seguintes estados: Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco, Paraná, Ceará, Rondônia e Mato Grosso.

História olímpica

Admirador confesso do pentatlo dos Jogos da Antiguidade, o barão Pierre de Coubertin, presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional), tentava desde 1909 colocar a modalidade no programa esportivo dos Jogos da Era Moderna. Em 1911, ele conseguiu convencer os integrantes da 14ª Sessão do COI, realizada em Budapeste (HUN). “O Espírito Santo do esporte iluminou meus colegas, que aceitaram uma modalidade que considero extremamente importante”, disse o barão em seu discurso na ocasião.

Aprovado e reconhecido como esporte olímpico, o pentatlo moderno foi introduzido no programa esportivo dos Jogos na edição de 1912, em Estocolmo (SUE). O primeiro campeão olímpico da modalidade foi o sueco Gosta Lilliehook, mas um dos participantes da competição acabou se transformando em um dos personagens mais importantes e polêmicos  da história da Segunda Guerra Mundial: o jovem tenente americano George S. Patton terminou somente em quinto lugar.

Até os Jogos de Londres 1948, a disputa do pentatlo moderno era restrita somente à prova masculina. A partir da edição de 1952, em Helsinque, foi introduzida a prova por equipes entre os homens, que permaneceu no programa olímpico até a edição de Barcelona 1992.

Yane Marques no pentatlo moderno na RIo 2016

Rio 2016

Yane Marques (BRA) em ação na Rio 2016. As mulheres estrearam em Olimpíadas em Sydney 2000

Nos Jogos de Atlanta 1996, o pentatlo moderno passou por uma alteração importante em sua forma de disputa. Até então disputado ao longo de quase uma semana, os atletas passaram a cumprir as provas em apenas um dia. O objetivo era tornar a disputa bem mais dinâmica e atrativa para o público. Nesta edição também foi definida a saída da prova por equipes.

A outra mudança importante aconteceu nos Jogos de Sydney 2000, quando finalmente o pentatlo moderno passou a ser disputado também pelas mulheres. A britânica Stephanie Cook foi a primeira campeã olímpica.

Bikpek

search-sample