Bahrein

Em 2012, em Londres, Maryam Yusuf Jamal deu ao pequeno país do Oriente Médio sua primeira medalha olímpica. Quatro anos depois, no Rio, a maior glória esportiva da nação foi alcançada por outra mulher, Ruth Jebet, vencedora dos 3.000 metros com obstáculos. Os barenistas estrearam em Olimpíadas em Los Angeles 1984.

Ruth Jebet, primeira medalhista de ouro do Bahrein, nos 3.000 m com obstáculos

Iaaf

Ruth Jebet, primeira medalhista olímpica de ouro do Bahrein: campeã dos 3.000 m com obstáculos
Cingapura

Em 2008, Joseph Schooling pediu para tirar uma foto com seu ídolo, o nadador Michael Phelps. Era um adolescente de 13 anos que talvez sequer sonhasse com o feito que alcançaria oito anos depois: derrotaria o americano nos 100 metros borboleta e daria a Cingapura, que estreou nos Jogos em Londres 1948, sua primeira medalha de ouro.

Costa do Marfim

O país no noroeste africano esperava desde Tóquio 1964 para celebrar uma medalha de ouro olímpica. Cheick Sallah Cissé tornou-se o campeão olímpico, na categoria até 80 kg do taekwondo, 32 anos depois que Gabriel Tiacoh conquistou a prata nos 400 metros, até então único pódio da nação.

Fiji

O rúgbi, que voltou ao programa olímpico depois de 92 anos, fez do pequeno arquipélago um integrante do grupo de países campeões olímpicos. A seleção masculina abriu o caminho rumo ao ouro com uma vitória por 40 a 12 contra o Brasil. Derrotou todos os rivais até massacrar a Grã-Bretanha por 43 a 7 na final e subir no pódio pela primeira vez.

Jordânia

Outro país que jamais havia subido num pódio olímpico e já começou com a medalha de ouro. O feito foi de Ahmad Abughaush, vencedor da categoria até 68 kg do taekwondo. Os jordanianos estrearam em Jogos Olímpicos em Moscou 1980, com quatro atletas, todos atiradores. No Rio, o país disputou seis modalidades com oito participantes.

Kosovo

O país mais novo aceito pelo COI (Comitê Olímpico Internacional) conseguiu uma medalha de ouro logo na estreia nos Jogos. E sabia que tinha uma boa chance disso: a judoca Majlinda Kelmendi fez valer sua posição de número 1 do ranking na categoria até 52 kg e venceu sem grande sofrimento suas quatro lutas até o alto do pódio.

A judoca Majlinda Kelmendi, campeã pelo Kosovo

FIJ

Majlinda Kelmendi: na estreia olímpica do Kosovo, a judoca conseguiu a primeira medalha de ouro do país
Porto Rico

O país da América Central já tinha oito medalhas olímpicas desde a estreia, em 1948, mas ainda faltava o ouro. E ele veio de forma improvável, com a tenista Monica Puig, que ocupa apenas a 35ª colocação no ranking. Mas várias das melhores do mundo foram caindo, e Monica na final derrotou a alemã Angelique Kerber, número 2 do mundo.

Tadjiquistão

A ex-república soviética estreou nos Jogos Olímpicos em Atlanta 1996. Tinha uma medalha de prata e duas de bronze até que no Rio de Janeiro o atual vice-campeão mundial Dilshod Nazarov conseguiu 78,68 m e conseguiu o ouro no lançamento do martelo.

Vietnã

Xuan Vinh Hoang não era o favorito, mas ignorou o fato de não aparecer entre os candidatos ao título e conseguiu na pistola de ar 10 metros o primeiro ouro olímpico do Vietnã, país que estreou em Moscou 1980 e até então tinha duas pratas. Vinh Hoang conseguiu ainda um bronze na pistola 50 metros.

Rodrigo Borges

Rodrigo Borges

Editor

Jornalista desde 1997, com passagens por Lance!, Destak e ESPN. Mora desde 2015 em Londres, onde trabalha como freelancer para diversas publicações brasileiras, função que já exerceu também em Nova York. É um dos cofundadores do Bikpek.

search-sample